Foi publicado hoje, 12/06, um manifesto assinado por 16 entidades, incluindo a Associação Brasileira da Indústria de Colchões (Abicol), no jornal Valor Econômico. O documento expressa preocupação e posicionamento contrário às elevações tarifárias de insumos químicos essenciais para diversos setores industriais, incluindo o setor de colchões. A medida é uma resposta ao pedido da Abiquim (Associação Brasileira da Indústria Química) à Câmara de Comércio Exterior (Camex) para desencadear medidas governamentais destinadas a conter as importações de um conjunto de produtos químicos através da Lista de Exceções à Tarifa Externa Comum (Letec).

O documento destaca, dentre outros pontos, que a proposta de elevar as tarifas gera impactos significativos nos custos de diversas indústrias, incluindo a colchoeira.

A Abicol, em seu papel de defender os interesses do setor de colchões, uniu-se às 15 entidades para ressaltar a importância de manter tarifas competitivas que não prejudiquem a indústria nacional. O manifesto reforça a necessidade de políticas que incentivem a competitividade e a sustentabilidade econômica das indústrias brasileiras. A Abicol e as demais entidades esperam que o governo leve em consideração os impactos negativos que tais elevações tarifárias poderão causar e avalie a proposta de forma a garantir um ambiente de negócios mais favorável e equilibrado.

Veja o manifesto abaixo:

Abeaço (Associação Brasileira de Embalagem de Aço);
Abief (Associação Brasileira Da Indústria De Embalagens Plásticas Flexíveis);
Abihpec ( Associação Brasileira da Indústria de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos);
Abint (Associação Brasileira das Indústrias de Nãotecidos e Tecidos Técnicos);
Abipla (Associação Brasileira das Indústrias de Produtos de Higiene, Limpeza e Saneantes);
Abiplast (Associação Brasileira da Indústria do Plástico);
Abrafati (Associação Brasileira dos Fabricantes de Tintas);
Abrinq (Associação Brasileira dos Fabricantes de Brinquedos);
Aenda (Associação Nacional das Empresas de Produtos Fitossanitários);
Anfacer ( Associação Nacional dos Fabricantes de Cerâmica para Revestimentos);
Assintecal (Associação Brasileira de Empresas de Componentes para Couro, Calçados e Artefatos);
CropLife Brasil (Associação pesquisa e desenvolvimento para produção agrícola sustentável);
Eletros (Associação Nacional dos Fabricantes Produtos Eletroeletrônicos);
Sitivesp (Sindicato da Indústria de Tintas e Vernizes do Estado de São Paulo);
Unifito (Associação nacional de produtos fitossanitários)

Vol. 10 – Edição 053 – 12/06/2024